segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Oficina de Holos - Sistema Educacional conta com envolvimento da Escola de Educação Especial João Cardoso Júnior


A Secretaria de Estado da Educação (Seed) realiza o terceiro encontro da Oficina de Holos - Sistema Educacional, por meio do Serviço de Educação em Direitos Humanos (SEDH), em parceria com a Divisão de Tecnologia de Ensino (Dite). A capacitação acontece nesta sexta-feira, 6, no Laboratório de Tecnologia Educacional (LTE) da Dite, localizado no Complexo Administrativo e Pedagógico da Secretaria de Estado da Educação, em Aracaju.

São 22 professores da Escola de Educação Especial João Cardoso Nascimento Junior que participam da capacitação. As atividades serão realizadas nos turnos da manhã e tarde, com carga horária de 20 horas.

Antônio Carlos Vieira, professor de geografia e técnico da Dite, destaca que, para os educadores, conhecer o programa Holos é importante no que se refere à busca da garantia ao atendimento da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva.

De acordo com ele, Holos é mais um programa para gerar aula com jogos digitais. O seu grande diferencial é que ele gera um relatório de acompanhamento que demonstra se o estudante está evoluindo ou não nas atividades. "É de extrema importância buscar os recursos que facilitem a vida dos estudantes que possuem alguma dificuldade na aprendizagem. Neste terceiro encontro, os docentes também aprenderam como trabalhar de maneira compartilhada com recursos da Google, História em Quadrinho"

Tecnologia aliada à educação

Tênia Menezes dos Santos, professora da Escola de Educação Especial João Cardoso Nascimento Junior, destacou que participar de capacitações como esta é muito importante. "A tecnologia tem que ser uma aliada à educação. É um recurso a mais para colaborar no processo de ensino e aprendizagem", diz. "A partir dos conhecimentos dos novos aparatos teremos a possibilidade de repensar a prática profissional, " complementa.

Holos

O Programa Holos foi desenvolvido como ferramenta para auxiliar o processo de aprendizagem utilizando como recurso jogos educativos e incentivar a utilização de recursos de áudio, imagem e escrita no contexto da sala de aula. "Busca-se nesse sentido, estimular os professores a utilizar maneiras diferenciadas de aprender e de ensinar e que possibilitem o desenvolvimento de novas competências utilizando atividades e situações significativas aos alunos´, afirma Josevanda Franco, coordenadora do SEDH.

Segundo Antônio Carlos Vieira, a Seed tem uma atenção especial no que tange o desenvolvimento de ações que promovam acessibilidade e programas de formação continuada de professores que atuam com alunos que possuem necessidades especiais.






Texto original: SEED-SE

Professores da Escola de Educação Especial João Cardoso Júnior participam de Oficina de Holos - Sistema Educacional


A Secretaria de Estado da Educação (Seed) promove a Oficina de Holos - Sistema Educacional, por meio do Serviço de Educação em Direitos Humanos (SEDH), em parceria com a Divisão de Tecnologia de Ensino (Dite). A oficina acontece nesta sexta-feira, 29, e nos dias 3 e 6 de outubro, no Laboratório de Tecnologia Educacional (LTE) da Dite, localizado no Complexo Administrativo e Pedagógico da Secretaria de Estado da Educação, em Aracaju.

A formação atende a 22 professores da Escola de Educação Especial João Cardoso Nascimento Junior. As atividades serão realizadas nos turnos da manhã e tarde, com carga horária de 20 horas.

O professor de geografia e técnico da Dite, Antônio Carlos Vieira, explica que conhecer o programa Holos é importante no que se refere à busca da garantia ao atendimento da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Além disso, no desenvolvimento de ações que promovam acessibilidade e programas de formação continuada de professores que atuam com alunos que possuem alguma deficiência.

Trabalhar novas vertentes educacionais a partir do uso da tecnologia

"O Holos é mais um programa para gerar aula com jogos digitais. O seu grande diferencial é que ele gera um relatório de acompanhamento que demonstra se o estudante está evoluindo ou não nas atividades", comentou o técnico ao destacar que é de extrema importância buscar os recursos que facilitem a vida dos estudantes que possuem alguma dificuldade na aprendizagem.

A professora da Escola de Educação Especial João Cardoso Nascimento Junior, Ana Claúdia Sousa Mendonça, elogiou a capacitação e comentou acerca da importância do apoio da Seed. "O Sistema vai nos oferecer novos aparatos e possibilidades para repensar a prática profissional, principalmente para nós que trabalhamos com alunos especiais", ressaltou.

Holos

O Programa Holos foi desenvolvido como ferramenta para auxiliar o processo de aprendizagem utilizando como recurso jogos educativos e como incentivo à utilização de recursos de áudio, imagem e escrita no contexto da sala de aula. "Busca-se nesse sentido, estimular os professores a utilizarem maneiras diferenciadas de aprender e de ensinar e que possibilitem o desenvolvimento de novas competências utilizando atividades e situações significativas aos alunos', afirma Josevanda Franco, coordenadora do SEDH.







Publicação original: SEED-SE

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Educação realiza Oficina de Construção de Histórias em Quadrinhos


Professores estão sendo capacitados para utilizar o Agaquê: programa usado para criar histórias em quadrinhos em forma digital

Por Avelar Mattos

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) por meio do Departamento de Educação (DED) e do Núcleo de Educação do Campo (Necam) realizou na manhã desta quinta-feira, 14, no laboratório da Divisão de Tecnologia de Ensino (DITE), Oficina de Construção de Histórias em Quadrinhos com o Agaquê: programa usado para criar histórias em quadrinhos de forma digital.

De acordo com a professora Acácia Daniel, coordenadora do Núcleo de Educação no Campo, seis técnicos do Necam estão sendo capacitados para levar a nova ferramenta de trabalho para os professores da rede estadual de ensino.

"A proposta da oficina é instrumentalizar professores e alunos, para utilização da ferramenta de montagem de histórias em quadrinhos no desenvolvimento de conteúdos de ensino e aprendizagem de forma dinâmica e criativa", disse Daniel.

Na avalição da coordenadora do Necam, outra vantagem das histórias em quadrinhos é que se trata de um recurso bastante aceito por crianças, adolescentes e adultos.

"Quando soubemos que o Departamento de Educação e o Serviço de Educação e Direitos Humanos, da Secretaria de Educação, tinham essa ferramenta de trabalho, firmamos uma parceria para que este programa seja incluído no Projeto Leitura em Escolas do Campo - Lê Campo", disse a coordenadora.

Histórias

Segundo a professora Acácia Daniel, o Núcleo de Educação do Campo irá realizar um planejamento com as Diretorias Regionais de Educação, objetivando levar o programa de construção de histórias em quadrinhos para as escolas do campo.

"Continuamos com a campanha do livro nas escolas para que as crianças e adultos possam ler mais. A história deles e da comunidade pode ser retratada em quadrinhos. Com essa metodologia de trabalho, estamos possibilitando que muitas pessoas tenham acesso a essa tecnologia nas escolas do campo", disse.

Para Acácia Daniel, "o incentivo à leitura, a reflexão e o desenvolvimento das habilidades são importantes para o desenvolvimento dos alunos que estudam em unidades de ensino localizadas no campo".

Agaquê

A Oficina de Construção de Histórias em Quadrinhos com o Agaquê foi ministrada pelo professor Antônio Carlos Vieira, técnico pedagógico da Divisão de Tecnologia de Ensino (DITE).

Na avaliação dele, a oficina se resumiu em passar instruções de como usar o programa Agaquê, que é utilizado para criar histórias em quadrinhos em forma digital.

"O programa é simples, instrutivo. Ele, inclusive, já vem pré-formatado com algumas figuras para facilitar o trabalho. O Agaquê pode ser usado pelas crianças na confecção de figuras e desenhos. Vamos orientar o professor a criar a história, e como realizar a divulgação nas redes sociais", disse Vieira.

O professor explicou que a ferramenta pode também ser utilizada na criação dos cartuns. "A imprensa usa bastante em forma de tirinhas com a introdução, desenvolvimento e desfecho.

História em quadrinhos é uma tirinha que envolve personagens, conflitos e situações", disse.




Acácia Daniel

Antônio Carlos Vieira